Segunda-feira, 5 de Janeiro de 2009

O Nó do Afecto

 

 

 

Numa reunião de pais numa escola da periferia, a directora ressaltava o apoio que os pais devem dar aos filhos; pedia-lhes também que se fizessem presentes o máximo de tempo possível. Ela entendia que, embora a maioria dos pais e mães daquela comunidade trabalhassem fora, deveriam achar um tempinho para se dedicar e entender as crianças.
No entanto, a directora ficou muito surpresa quando um pai se levantou e explicou, com o seu jeito humilde, que ele não tinha tempo de falar com o filho, nem de vê-lo, durante a semana, porque quando ele saía para trabalhar era muito cedo e o filho ainda estava dormindo. Quando voltava do serviço já era muito tarde e o garoto já não estava acordado. Explicou ainda, que tinha de trabalhar assim, para prover o sustento da família, mas também contou que isso o deixava angustiado por não ter tempo para o filho e que tentava redimir-se indo beijá-lo todas as noites quando chegava em casa, e para que o filho soubesse da sua presença, ele dava um nó na ponta do lençol que o cobria. Isso acontecia religiosamente todas as noites quando ia beijá-lo.
Quando o filho acordava e via o nó, sabia, através dele, que o pai tinha estado ali e o havia beijado. O nó era o meio de comunicação entre eles.
A directora emocionou-se com aquela singela história e ficou surpresa quando constatou que o menino era um dos melhores alunos da escola.
Jamais esqueça o principal, que é a comunicação através do sentimento. Simples gestos como um beijo e “um nó na ponta do lençol”, podem fazer a diferença.
O facto faz-nos refletir sobre as muitas maneiras das pessoas se fazerem presentes, de se comunicarem com os outros. Aquele pai encontrou a sua, que era simples, mas eficiente. E o mais importante é que o filho percebia, através do nó afectivo, o que o pai estava lhe dizendo.
Faça com que as pessoas “ouçam” a linguagem do seu coração. As pessoas podem não entender o significado de muitas palavras, mas sabem registrar um gesto de amor. Mesmo que esse gesto seja apenas um nó.
 

sinto-me: triste...

publicado por miguel_sousa às 07:48
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Valéria a 30 de Abril de 2009 às 17:18
Um texto com muita moral!!!! De facto, às vezes basta pequenos gestos para nos encher o coração de alegria. Basta ser feito com carinho e sinceridade, né??? :-)


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 36 seguidores

.pesquisar

 

.Junho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Hoje Em Destaque em Um No...

. Hoje em destaque no blog ...

. Em Destaque no blog Um No...

. Convite

. Em Destaque

. O Mundo Está Louco

. Flashback Músical

. Endereço de novo blog

. O fim do Olhando_as_estre...

. Escondido de tudo...

. Música do dia

. Sorriso falso...

. Lenda chinesa

. Dias incompletos...

. Música do dia

. O Nó do Afecto

. Rastos de dor...

. Música do dia

. A essência da vida

. Novas sensações...

.arquivos

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Setembro 2006

. Abril 2006

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Para ti avô

. Acto de Fé...

. 12 Palavras por ti...

. Silêncio e tanta gente...

. Mais uma descrição do Amo...

. O Amor em 4 etapas...

.subscrever feeds